domingo, 22 de setembro de 2019

#ACulpaEDoWitzel - Polícia de Witzel mata mais uma criança no RJ



Morreu na madrugada deste sábado Ágatha Félix, de apenas 8 anos, no Rio de Janeiro.
Ela foi atingida nas costas por um tiro de fuzil, na noite da sexta-feira 20, na Fazendinha, no Complexo do Alemão, zona norte da capital.
Agatha foi a 16º criança baleada este ano no Grande Rio – a 5º que não resistiu aos ferimentos e morreu.
Ela estava em uma Kombi no momento em que foi baleada.
Segundo moradores, o autor do disparo foi um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade, que teria suspeitado de um motociclista que passava pelo local.
Trata-se, portanto, de mais uma vítima da política de segurança pública do governador Wilson Witzel, do PSC.
Nas redes sociais, o caso gerou revolta nas primeiras horas deste sábado.
A deputada federal Talíria Perone, do PSOL- RJ, disse "a pequena Agatha não resistiu. Mais uma vítima da necropolítica. Uma criança, uma menina de 8 anos, com sonhos, uma vida inteira pela frente. Todo abraço e solidariedade à família. Não posso imaginar a dor. Que tristeza! Que tristeza! #ACulpaEDoWitzel".
#ACulpaEDoWitzel


IMAGEM:
RAULL SANTIAGO/MÍDIA NINJA


Bolsonaro Descartado, Nordeste é Brasil na ONU



ONU descarta Bolsonaro e confirma governador de Pernambuco!
Gostaria de começar sugerindo a todas e todos que procurem no youtube as falas de Lula e Dilma na ONU.
O Brasil era respeitado.
Era ouvido atentamente pelas nações do mundo.
E por que era ouvido?
Primeiro por que tinha presidentes civilizados, que respeitam os Direitos Humanos, que defendem o Brasil não apenas na goela.
Segundo por que tinham mensagem para levar, tinha ensinamentos brasileiros para compartilhar com o mundo.
Hoje o Brasil regrediu ao medievo.
Somos uma sociedade que cultua a imbecilidade e a violência.
O Brasil e seu povo nunca passou tanta vergonha frente aos países do mundo.
A decisão da ONU em descarta Bolsonaro é completamente correta.
Bolsonaro representa o maior atraso civilizacional após Adolfo Hitler.
Quase 100% do que sai da boca do presidente do Brasil é violento, homofóbico, misógino ou racista...
O cara é uma tragédia ambulante.
As Nações Unidas decidiram descarta o cara pelo conjunto da obra...
Óbvio que o discurso mentiroso, incompetente e de incentivo ao desmatamento da floresta amazônica foi decisivo...
Mas não é só isso...
Quando o presidente atual vai para as redes sociais e a TV defendendo a violência de toda ordem, expressa ao mundo e, claro, à ONU, seu lado anticivilizacional.
Bolsonaro é um perigo para a humanidade.
Por muito menos o mundo iniciou conflitos militares que matou milhões de pessoas.
Parabéns à ONU pelo descarte do Bozo e o convite ao Nordeste.
O Nordeste sempre demonstrou, ao longo da sua história, seu lado humano e civilizado...
O Nordeste sempre produziu e produz trabalhadores e trabalhadoras que, junto aos trabalhadores e trabalhadoras do restante do país, ajudaram a construir nossa riqueza.
Claro, que a riqueza produzida por todos e todas, nunca foi bem dividida, uma elite do Nordeste e do Brasil, sempre foram os beneficiados.
Mas, o Nordeste irá falar ao mundo la na ONU...
A fala do Nordeste vai ecorar aos quatro cantos do planeta.
No Brasil, os caras que defendem a tortura, a morte de negros e negras, a morte de indígenas e quilombolas, a morte de adversário político, é uma minoria.
Apesar de todos os nossos problemas...
Somos um povo que deseja a fraternidade e o amor entre as pessoas.
O respeito á floresta e ao meio ambiente em geral.
Somos respeitadores da paz mundial.
Respeitamos a auto soberania das nações.
Somos completamente contra qualquer tipo de violência contra qualquer ser humano.

Por José Gilbert Arruda Martins

FONTE:
IMAGEM:



O plano de Bolsonaro para entrega da Amazônia



O governo de Jair Bolsonaro está discutindo, desde fevereiro, o maior plano de ocupação e desenvolvimento da Amazônia desde a ditadura militar.
O que liga a floresta Amazônica, o aquecimento mundial e você?
Há muito tempo a floresta Amazônica é reconhecida como um repositório de serviços ecológicos, não só para os povos indígenas e as comunidades locais, mas também para o restante do mundo.
Além disso, de todas as florestas tropicais do mundo, a Amazônia é a única que ainda está conservada, em termos de tamanho e diversidade.
No entanto, à medida que as florestas são queimadas ou retiradas e o processo de aquecimento global é intensificado, o desmatamento da Amazônia gradualmente desmonta os frágeis processos ecológicos que levaram anos para serem construídos e refinados.
Povos indígenas e outros grupos que vivem na floresta amazônica aperfeiçoaram o uso de compostos químicos encontrados em plantas e animais.
O conhecimento sobre o uso dessas plantas geralmente fica nas mãos de um curandeiro, que por sua vez repassa a tradição para um aprendiz.
Esse processo se mantém ao longo de séculos e compõe uma parte integral da identidade desses povos.
Os cientistas acreditam que menos de 0,5% das espécies da flora foram detalhadamente estudadas quanto ao seu potencial medicinal.
Ao mesmo tempo em que o bioma Amazônia está encolhendo lentamente em tamanho, a riqueza da vida silvestre de suas florestas também se reduz, bem como uso potencial das plantas e animais que ainda não foram descobertos.
A floresta amazônica não é despovoada;
Se olharmos com a visão humanista não capitalista ou rentista, indígenas, caboclos, ribeirinhos, pequenos camponeses, famílias coletoras de ervas medicinais, pescadores artesanais, pesquisadores, cientistas, curandeiros...
São os verdadeiros moradores e guardiões da floresta.
Além, óbvio, das grandes cidades da região: Rio Branco no Acre: 319.825; Manaus: 1,793; Belém: 1.410.430...
A floresta é uma verdadeira usina de beneficiamento do clima planetário...
Filtragem e reprocessamento da produção mundial de gás carbônico;
Entra o gás carbônico, sai o oxigênio;
A floresta amazônica pode curar você;
Há uma ligação entre os remédios guardados nos armários de sua casa e a vida silvestre da Amazônia: plantas e animais servem como base para a fabricação de medicamentos;
Povos indígenas e outros grupos que vivem na floresta amazônica aperfeiçoaram o uso de compostos químicos encontrados em plantas e animais;
No entanto, com o rápido desaparecimento das florestas úmidas tropicais, a continuidade desse conhecimento para o benefício das futuras gerações encontra-se ameaçada.
O governo de Jair Bolsonaro está discutindo, desde fevereiro, o maior plano de ocupação e desenvolvimento da Amazônia desde a ditadura militar.
O projeto Barão de Rio Branco retoma o antigo sonho militar de povoar a Amazônia, com o pretexto de desenvolver a região e proteger a fronteira norte do país.
Documentos inéditos obtidos pelo Intercept detalham o plano, que prevê o incentivo a grandes empreendimentos que atraiam população não indígena de outras partes do país para se estabelecer na Amazônia e aumentar a participação da região norte no Produto Interno Bruto do país.
Na apresentação, os responsáveis esmiuçaram a preocupação do governo com a “campanha globalista” que, de acordo com o material, “relativiza a soberania na Amazônia” usando como instrumentos as ONGs, a população indígena, quilombola e os ambientalistas. E afirmaram ser necessária a execução de obras de infraestrutura — investimentos “com retorno garantido a longo prazo” —, como hidrelétricas e estradas, para garantir o desenvolvimento e a presença do estado brasileiro no local.
A questão é:
Quem foi ouvido para a construção desse projeto/plano?
O povo da floresta foi ouvido? Teve seu momento de fala?
Quem será verdadeiramente beneficiado? O povo que habita a região? Ou os grandes empresários daqui e de fora?
Outra questão: Os grande projetos, da soja, dos minérios, da criação extensiva de gado etc. sempre, tiveram como consequência o aprofundamento da desigualdade social e aumento da pobreza da maioria do povo nos locais em foram implantados, o que resta para trabalhadores e trabalhadoras e as populações tingidas diretamente, são salários miseráveis e a convivência com a destruição ambiental.
Outra, quais empresas de engenharia irão construir as estradas e as grandes obras do plano?
As empresas brasileiras, Odebrecht, OAS, Camargo Correia etc. foram quebradas pela Lava jato de Sérgio Moro e Dallagnol...
Quais grandes empresas irão assumir projetos bilionários como esses?
Empresas dos EUA?
Então é verdade que a Lava Jato quebrou a engenharia brasileira para que o país deixe entrar as empresas estadunidenses?
Logo na Floresta Amazônica?
O mapeamento das riquezas e minerais estratégicos já foram passados aos EUA?
Ou eles mesmos já fizeram isso?
Pois possuem tecnologia para tanto?
É uma questão que precisa ser urgentemente conhecida pelo povo brasileiro e debatida com a sociedade civil.

Por José Gilbert Arruda Martins

FONTE:
IMAGEM:
Pensamento Verde

#ACulpaEDoWitzel - Polícia de Witzel mata mais uma criança no RJ



Morreu na madrugada deste sábado Ágatha Félix, de apenas 8 anos, no Rio de Janeiro.
Ela foi atingida nas costas por um tiro de fuzil, na noite da sexta-feira 20, na Fazendinha, no Complexo do Alemão, zona norte da capital.
Agatha foi a 16º criança baleada este ano no Grande Rio – a 5º que não resistiu aos ferimentos e morreu.
Ela estava em uma Kombi no momento em que foi baleada.
Segundo moradores, o autor do disparo foi um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da comunidade, que teria suspeitado de um motociclista que passava pelo local.
Trata-se, portanto, de mais uma vítima da política de segurança pública do governador Wilson Witzel, do PSC.
Nas redes sociais, o caso gerou revolta nas primeiras horas deste sábado.
A deputada federal Talíria Perone, do PSOL- RJ, disse "a pequena Agatha não resistiu. Mais uma vítima da necropolítica. Uma criança, uma menina de 8 anos, com sonhos, uma vida inteira pela frente. Todo abraço e solidariedade à família. Não posso imaginar a dor. Que tristeza! Que tristeza! #ACulpaEDoWitzel".
#ACulpaEDoWitzel

FONTE:
IMAGEM:
RAULL SANTIAGO/MÍDIA NINJA


sábado, 21 de setembro de 2019

Dória manda Bolsonaro "trabalhar mais e tuitar menos"



Dória é Bolsonaro, Bolsonaro é Doria?
Não, não é?
Bolsonaro é um cara que caiu de paraquedas no meio da elite, enriqueceu com a política e hoje é um “fantoche entreguista como afirmou Requião”, não passa disso...
É um “Capitão-do-mato” das elites...
O cara que está no governo representando, fazendo o serviço sujo do grande capital contra os interesses do povo...
Bolsonaro não tem ideologia...
Aliás, nem sabe o que seja ideologia...
Dória é diferente...
Dória é a própria elite no governo.
Tem suas origens ligadas diretamente aos grandes capitalistas de SP...
É um cara pensado para fazer por ele, para a família e amigos e para os ricos de SP...
É a direita preparada para fazer o mal e quer, deseja fazer o mal ao povo.
Dória é a representação concreta da “elite do atraso”.
É o cara que odeia pobre...
É a direita que planeja...
O atual governador de SP é pior que Bolsonaro...
É o cara que poderá implantar um projeto de país das elites mais facilmente que Bolsonaro.
Dória é a direita com ideologia.
O governador de São Paulo, João Doria - conhecido em SP como BolsoDoria e Dorinha Malvadeza -, mandou Jair Bolsonaro "trabalhar mais e tuitar menos".
Não demorou para que Doria apunhalasse Bolsonaro, pensando nas eleições de 2022.
Desta vez, a ofensiva do tucano tem como pano de fundo o anúncio da montadora Toyota, na quinta-feira 19, de que vai investir R$ 1 bilhão em sua fábrica de Sorocaba (SP), gerando 300 empregos.
Doria foi ao Japão nesta semana para acompanhar os executivos da montadora no momento do anúncio.
Ainda na quinta-feira, Bolsonaro reclamou do comunicado.
"Para variar, a notícia não tem meu nome", disse em vídeo. Bolsonaro também afirmou que o investimento acontece "graças ao programa de valorização dos biocombustíveis do governo federal, o Renovabio".

Por José Gilbert Arruda Martins

FONTE:
IMAGEM:
(Crédito: Clauber Cleber Caetano/PR)

Vacina pra quê? Deus protege!



Segundo dados do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, nos últimos dois anos a meta de ter 95% da população-alvo vacinada não foi alcançada.
Vacinas importantes como a Tetra Viral, que previne o sarampo, caxumba, rubéola e varicela, teve o menor índice de cobertura: 70,69% em 2017. (abr de 2019)
Segundo a OMS, a vacinação evita de 2 a 3 milhões de mortes por ano, e outro 1,5 milhão poderia ser evitado se a cobertura vacinal fosse melhorada no mundo.
Não vacinar seu filho afeta a saúde dele e de outras crianças.
Você consegue imaginar um mundo sem vacinas? Pois essa realidade não é tão antiga assim. Vamos voltar no tempo, lá para o início do século 20. Naquela época, uma em cada cinco crianças morria de alguma doença infecciosa antes de completar 5 anos de idade.
Graças às vacinas, doenças terríveis e altamente contagiosas foram quase erradicadas. Algumas, como a varíola, de fato sumiram do mapa.
Com o Brasil vivenciando um surto de sarampo, além do aumento dos casos de febre amarela, o Ministério da Saúde quer reduzir as despesas com a aquisição e distribuição de vacinas em R$ 393,7 milhões no próximo ano.
A proposta de corte está contida no projeto de lei orçamentária que foi encaminhada pelo governo Bolsonaro ao Congresso Nacional no final de agosto.
Quem também reclamou foi o ex-ministro da Saúde e deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) que foi à Tribuna da Câmara para denunciar um corte orçamentário promovido pelo governo de Bolsonaro.
Afirmou Padilha:
 “Foi encaminhado pelo presidente Bolsonaro a proposta de orçamento do Ministério da Saúde pro ano de 2020 e o que mais me surpreendeu foi a proposta de redução dos recursos do Programa Nacional de Imunização, o programa nacional de vacinas. O Brasil está vendo a reemergência do sarampo, a falta de vacina pentavalente, a falta de vacina da polio, a destruição do PNI e Bolsonaro reduz os recursos para 2020”, declarou.
Pelo Twitter, Padilha ainda completou e comparou o corte no orçamento com o movimento anti-vacina.
Recentemente o movimento antivacinação foi incluído pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em seu relatório sobre os dez maiores riscos à saúde global.
O professor Dr. Carlos Graeff Teixeira, do Grupo de Parasitologia Biomédica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), sugere que os cientistas brasileiros acelerem um movimento de divulgação sobre a utilidade das vacinas, com informações científicas sobre os seus benefícios, com mensagens positivas e de esclarecimento, inclusive reverenciando cientistas que já lutaram esta luta, como Oswaldo Cruz. Para ele, é preocupante o ressurgimento de infecções onde a cobertura vacinal caiu. Nos Estados Unidos, por exemplo, o Presidente da Academia Americana de Pediatria (AAP, em inglês) Kyle E. Yasuda, enviou cartas aos CEOs de três grandes empresas de tecnologia – Google (proprietária do YouTube), Facebook (proprietária do Instagram e WhatsApp) e Pinterest – destacando a crescente ameaça que a desinformação online de vacinas representa à saúde das crianças.

FONTE:
IMAGEM:


Doria manda Bolsonaro "trabalhar mais e tuitar menos"



Doria é Bolsonaro, Bolsonaro é Doria?
Não, não é?
Bolsonaro é um cara que caiu de paraquedas no meio da elite, enriqueceu com a política e hoje é um “fantoche entreguista como afirmou Requião”, não passa disso...
É um “Capitão-do-mato” das elites...
O cara que está no governo representando, fazendo o serviço sujo do grande capital contra os interesses do povo...
Bolsonaro não tem ideologia...
Aliás, nem sabe o que seja ideologia...
Dória é diferente...
Dória é a própria elite no governo.
O atual governador de SP tem pedigree...
Tem suas origens ligadas diretamente aos grandes capitalistas de SP...
É um cara pensado para fazer por ele, para a família e amigos e para os ricos de SP...
Dória é a direita que sabe fazer.
É a direita preparada para fazer o mal e quer, deseja fazer o mal ao povo.
Dória é a representação concreta da “elite do atraso”.
É o cara que odeia pobre...
É a direita que planeja...
O atual governador de SP é pior que Bolsonaro...
É o cara que poderá implantar um projeto de país das elites mais facilmente que Bolsonaro.
Dória é a direita com ideologia.
O governador de São Paulo, João Doria - conhecido em SP como BolsoDoria e Dorinha Malvadeza -, mandou Jair Bolsonaro "trabalhar mais e tuitar menos".
Não demorou para que Doria apunhalasse Bolsonaro, pensando nas eleições de 2022.
Desta vez, a ofensiva do tucano tem como pano de fundo o anúncio da montadora Toyota, na quinta-feira 19, de que vai investir R$ 1 bilhão em sua fábrica de Sorocaba (SP), gerando 300 empregos.
Doria foi ao Japão nesta semana para acompanhar os executivos da montadora no momento do anúncio.
Ainda na quinta-feira, Bolsonaro reclamou do comunicado.
"Para variar, a notícia não tem meu nome", disse em vídeo. Bolsonaro também afirmou que o investimento acontece "graças ao programa de valorização dos biocombustíveis do governo federal, o Renovabio".

Por José Gilbert Arruda Martins

FONTE:
IMAGEM:
(Crédito: Clauber Cleber Caetano/PR)